Número de jovens eleitores no país caiu 14%, informa TSE

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou nesta terça-feira (1º) que caiu o número jovens eleitores de 16 e 17 anos, cujo voto é opcional. Em 2014, eram 1.638.751 eleitores jovens e neste ano serão 1.400.617 jovens – uma redução de 14,53%.

Durante a apresentação dos dados, técnicos do tribunal informaram que compararam as informações com dados da população do IBGE e que o total de brasileiros jovens diminuiu 7%, enquanto que o total de jovens eleitores diminuiu mais, 14,53%.

“Ritmo de diminuição da população jovem foi menor que o eleitorado. Foram feitas campanhas, mas não podemos afirmar qual foi o motivo dessa redução”, informou a área técnica do tribunal.

Segundo dados do TSE, os jovens de 16 e 17 anos representam 0,95% do eleitorado brasileiro.

Os técnicos explicaram também que a população de 16 e 17 anos conforme o IBGE em 2014 era de 7.024.770, quando 1.638.751 era eleitores – 23% dos jovens optaram por tirar o título.

Neste ano, a população dessa faixa etária é de 6.489.062 e 1.400.617 tiraram o título – 21% dos jovens nessa faixa etária.

Antes da divulgação dos dados, o presidente do TSE, ministro Luiz Fux, deu uma declaração sobre os dados e chamou de “avanço” o número de eleitores cadastrados com a biometria e o nome social de transexuais impresso no título.

Ele elogiou o trabalho da imprensa profissional para se combater as fake news. “Chego ao fim da gestão com sensação de dever cumprido, mas me ficou muito patente que democracia e eleição só convivem bem quando temos um excelente jornalismo, como temos no Brasil.”

Fux fica no cargo até 14 de agosto, quando Rosa Weber assume a presidência do tribunal.

Perfil do eleitor

De acordo com o TSE, 147.302.354 eleitores estão aptos a participar da escolha de deputados, senadores, governadores e do presidente da República no próximo dia 7 de outubro. Houve crescimento de 3,14% em relação às últimas eleições gerais, de 2014, quando o país tinha 142.822.046 eleitores.

Ainda segundo o TSE, 1.409.774 eleitores não poderão participar da eleição e nem se candidatar porque estão com direitos políticos suspensos.

Houve aumento de 11,12% de eleitores acima de 70 anos, cujo voto é facultativo – passou de 10.824.810 em 2014 para 12.028.495 nesta eleição.

No exterior, o eleitorado teve salto de 41,37% nos últimos quatro anos, passando de 354.184 para 500.727.

As informações apontam, ainda, que as mulheres continuam sendo maioria do eleitorado, 52,5% – são 77.337.918 eleitoras. Os homens são 47,5% do eleitorado – 69.901.035 cidadãos.

O TSE divulgou que 6.280 eleitores transexuais e travestis terão nome impresso no título – é a primeira vez que isso acontece na eleição. O maior número de pedidos foi feito em São Paulo, 1.805. Cinco eleitores optaram por um nome social no exterior.

Identificação biométrica

Outro dado apresentado foi a evolução do cadastro de eleitores pela identificação biométrica. Ao todo, 50,03% dos eleitores foram cadastrados, o que representa 73.688.208 com biometria.

Em 2014, eram 15,18% cadastrados – um avanço de 239% em quatro anos. A meta é chegar a 100% em 2022, segundo o TSE.

Fonte: G1.

Comentários

Captha *