Pacote suspeito é enviado ao ator Robert De Niro

A Polícia de Nova York investiga na manhã de quinta-feira (25) um pacote suspeito enviado ao ator Robert De Niro, em um imóvel no bairro de Tribeca onde fica seu restaurante e sua produtora, a Tribeca Productions. Fontes policiais disseram à CNN que ele estava no sétimo andar do prédio onde funciona a produtora.

O pacote, que já foi removido do local, é semelhante aos enviados à ex-primeira-dama Hillary Clinton e ao ex-presidente Barack Obama, que foram interceptados pelo Serviço Secreto americano.

Na quarta-feira, pacotes com dispositivos que aparentavam ser explosivos foram enviados para diferentes endereços, mas nenhum deles chegou a explodir. Ninguém assumiu a responsabilidade pelos envios e até o momento ninguém foi detido.

O edifício onde está a sede da TV CNN, em Nova York, chegou a ser esvaziado preventivamente após um pacote ser encontrado na sala de correspondência, juntamente com um envelope contendo um pó branco.

O pacote destinava-se ao ex-diretor da CIA, John Brennan, que apareceu na emissora como um convidado e talvez seja o crítico mais ferrenho do presidente Donald Trump na comunidade de segurança nacional.

Também receberam pacotes suspeitos:

  • Debbie Wasserman-Schultz (deputada democrata pela Flórida) marcada como remetente em pacote endereçado errado ao ex-secretário de Justiça Eric Holder
  • Maxine Waters (deputada democrata da Califórnia)
  • investidor George Soros recebeu na segunda-feira (22).

A composição exata do pacote ainda não está clara. Um agente especial do FBI, a polícia federal americana, disse à CNN que os dispositivos “pareciam ser bombas de cano” (bomba feita com um pedaço de cano, um tipo comumente associado a fabricação caseira).

Trump afirmou na quarta à noite que “qualquer ato ou ameaça de violência política é um ataque contra a própria democracia”. Também pediu unidade ao país, afirmando que “atos de violência política não têm lugar nos Estados Unidos”. Ele também pediu que a mídia pare com a “hostilidade sem fim” e com os “ataques falsos” em comentários sobre as bombas.

Nesta manhã, ele voltou a se manifestar, agora no Twitter, sobre o envio dos pacotes suspeitos.

“Uma parte muito grande da raiva que vemos hoje em nossa sociedade é causada pelos relatos propositalmente falsos e imprecisos da mídia tradicional à qual me refiro como Fake News. Ficou tão ruim e odioso que está além da descrição. Os principais veículos de imprensa deve limpar isso, rápido!”, declarou.

Fonte: G1.

Comentários

Captha *