Caso Neymar: Ministério Público de SP acusa Najila de denunciação caluniosa e extorsão

O Ministério Público do Estado de São Paulo denunciou nesta terça-feira (17) Najila Trindade Mendes de Souza pelos crimes de denunciação caluniosa e extorsão no caso em que a modelo acusou o jogador Neymar de estupro durante encontro em Paris, na França, no dia 15 de maio.

Na última terça-feira (10) a Polícia Civil indiciou Najila por fraude processual, denunciação caluniosa e extorsão. Enquanto que seu ex-marido, Estivens Alves, foi denunciado por fraude processual e divulgação de conteúdo erótico.

O indiciamento de Najila veio após a conclusão de dois inquéritos que tramitavam no 11º DP (Santo Amaro) que envolviam Neymar. As peças são desdobramentos do caso investigado e encerrado junto à 6ª Delegacia de Defesa da Mulher, sob a presidência da Doutora Juliana Lopes Bussacos.

O pai de Neymar entrou com a ação de denúncia caluniosa e tentativa de extorsão de Najila. A modelo, por sua vez, denunciou o ex-marido por divulgação de conteúdo erótico.

Caso arquivado

A investigação sobre o suposto estupro foi arquivada em julho, depois de a polícia decidir por não indiciar Neymar. Os depoimentos e provas apresentados à Polícia Civil pela modelo Najila Trindade, que acusou o jogador Neymar de estupro e agressão, apresentaram “incongruências”, conforme escreveu a delegada que investigou o caso no relatório final do inquérito.

Após dois meses de investigação, a delegada Juliana Lopes Bussacos anunciou que o caso estava encerrado. “Eu concluí a investigação e deliberei por não indiciar o investigado por ausência de elementos suficientes para tanto”, afirmou.

No relatório final, a delegada concluiu que “diante dos elementos colhidos no curso da investigação policial, não vislumbro elementos para o indiciamento do investigado, uma vez que as versões são conflitantes, com incongruências nas declarações da vítima e, principalmente, nas provas apresentadas pela mesma”.

Fonte: G1

Comentários

Captha *