Morre idosa esfaqueada por administrador de empresas em praça na zona Sul de Ribeirão Preto

Morreu na tarde desta terça-feira (13) a aposentada Ana Silvia de Almeida Lorenzato Andrião, de 65 anos, que foi esfaqueada em uma praça na zona Sul de Ribeirão Preto (SP). Ela estava internada na Santa Casa há 10 dias, foi submetida a duas cirurgias, mas o quadro de saúde era grave.

A assessoria do hospital informou que o corpo será encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).

Acusado de esfaquear a idosa, o administrador de empresas Eduardo Liboni Sella, de 36 anos, está preso preventivamente. Ele respondia pelo crime de tentativa de homicídio, mas deve ser submetido a exame de sanidade porque, segundo a defesa, sofre de esquizofrenia paranoide.

Um laudo médico feito pela equipe do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Ribeirão Preto e encaminhado à Justiça confirma o diagnóstico, afirmando ainda que Eduardo sofre de transtornos mentais e comportamentais devido ao uso de maconha e álcool.

Em nota, o advogado André Renato Servidoni afirmou que Sella não tinha consciência dos próprios atos quando esfaqueou Ana Silvia. A defesa confirmou que o administrador trata de esquizofrenia desde os 15 anos, mas a doença mental se agravou nos últimos meses.

“Eduardo não cometeu o referido delito por preconceito, ódio ou qualquer outra razão ligada ao fato da vítima ser do sexo feminino, nem mesmo por motivo fútil ou cruel, como alega o Ministério Público na denúncia. Pelo contrário, na verdade o acusado não tinha e não tem qualquer consciência de seus atos e de quem seja a vítima”, comunicou.

A defesa disse ainda que a família de Sella “está extremamente triste com o ocorrido, sendo certo que infelizmente foi uma fatalidade, mas se solidariza com os familiares da vítima e seus amigos”.

Administrador de empresas esfaqueia idosa em praça na zona Sul de Ribeirão Preto — Foto: Reprodução

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Denúncia aceita

Na última sexta-feira (10), a juíza da 2ª Vara do Júri e das Execuções Criminais, Isabel Cristina Alonso Bezerra Zara, aceitou a denúncia do Ministério Público e tornou Sella réu no caso por tentativa de homicídio com seis qualificadoras.

O administrador de empresas foi preso em flagrante no último sábado (4), no apartamento onde morava no Jardim Irajá, após ser perseguido por uma testemunha do crime. Ele teve a prisão em flagrante convertida em preventiva, ou seja, até o julgamento do caso.

À Polícia Militar, Sella disse sofrer de esquizofrenia. Vizinhos atribuíram um perfil agressivo e recluso a ele. O promotor de Justiça Wanderley Trindade afirmou que a perícia tem prazo de 45 dias para definir se o administrador pode ou não ser punido pelo crime.

Caso ele seja considerado imputável ou semi-imputável, pode ser levado a júri popular. Se o acusado for considerado inimputável, deve ser alvo de uma medida de segurança, com encaminhamento para uma casa de custódia para tratamento psiquiátrico.

O crime

O crime ocorreu na manhã do último sábado na Praça Mateus Nader Nemer, conhecida como Praça da Bicicleta, e foi registrado por uma câmera de segurança. A PM informou que a agressão começou depois que a vítima disse “bom dia” ao administrador de empresas.

A imagem mostra Sella caminhando pela praça na Rua Chile, no Jardim Irajá, e cruzando com a idosa. Ele voltou rapidamente, tirou a faca da mochila, jogou a aposentada na rua e passou a esfaqueá-la. Ela recebeu 12 facadas e foi socorrida por uma testemunha.

Fonte: G1

Foto: Reprodução

Comentários

Captha *