Aspirina será testada em tratamento de câncer de mama agressivo

Pesquisadores britânicos vão testar pela primeira vez em pacientes se a aspirina pode ajudar a combater o câncer de mama agressivo, tornando os tumores difíceis de tratar mais responsivos a medicamentos contra o câncer.

O teste clínico, realizado em mulheres com câncer de mama triplo-negativo, está sendo conduzido por uma equipe da Christie NHS Foundation Trust, em Manchester, no Reino Unido.

Os médicos suspeitam que são as propriedades anti-inflamatórias da aspirina, e não seu efeito analgésico, que auxiliam no tratamento.

Os estudos em animais já mostraram resultados encorajadores.

Mulheres mais jovens

Há algumas evidências de que a aspirina pode ajudar a prevenir alguns outros tipos de câncer e diminuir o risco de propagação da doença.

Mas é muito cedo para recomendar que as pessoas comecem a tomar o medicamento. Mais pesquisas a respeito são necessárias.

Cerca de 8 mil mulheres são diagnosticadas com câncer de mama triplo-negativo no Reino Unido a cada ano — um tipo de câncer de mama menos comum, mas geralmente mais agressivo, que afeta desproporcionalmente mulheres mais jovens e negras.

Esses tumores não possuem os receptores que alguns outros cânceres de mama têm, o que significa que certos tratamentos, como o herceptin, não vão funcionar. Embora outros medicamentos e tratamentos possam ajudar.

Fonte: Bem Estar

 Foto: Food and Drug Administration/Divulgação

Comentários

Captha *