Prefeitura de Barretos eleva conta de água em 24,6% e culpa alta de custos

Os moradores de Barretos (SP) começam a pagar, a partir deste mês, 24,63% a mais na conta de água. Diante de críticas, o reajuste foi decretado em janeiro pela Prefeitura sob a justificativa de que a cobrança atual apresenta uma defasagem de 52,9% em função da alta dos custos acumulada nos últimos dois anos.

De acordo com a determinação, a faixa mínima da cobrança, até então de R$ 2,76 por metro cúbico (m³), passará para R$ 3,44 (veja as demais tarifas abaixo).

A população, no entanto, reclama de problemas no serviço de distribuição, como a falta de água e a coloração esbranquiçada do recurso que sai das torneiras em bairros como o Jardim Califórnia.

“A gente está pagando certinho as taxas e ele [o prefeito] não vem colaborando. Não merecemos pagar isso”, diz a dona de casa Marcelita Delarco Simiano.

O diretor superintendente do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Barretos (SAAE), Silvio Brito, afirma que os problemas são pontuais e eventuais prejuízos podem ser questionados junto à repartição.

saae

Defasagem na cobrança

Brito afirma que devido a fatores como a crise econômica e a alta do dólar, que encareceu insumos, nos últimos dois anos a Prefeitura vinha cobrando a faixa mínima de R$ 2,76 por metro cúbico diante de um gasto de R$ 4,22.

Diferença de 52,9% que, segundo ele, vinha sendo compensada pelo superávit na arrecadação municipal.

“Os custos impactaram muito. Todo mundo sabe que a energia subiu, o combustível subiu, o produto químico é em dólar, o dólar subiu. Então tivemos dois anos de aumento de custo bem elevado e isso impactou e agora é o momento de a gente fazer uma reposição pra poder continuar operando o sistema”, afirma.

Fonte: G1.

Comentários

Captha *