Fazendeira conta como convenceu caseiro suspeito de matar mulher, enteada e vizinho a se entregar: ‘apontou arma, mas eu pedi calma’

Uma fazendeira contou com exclusividade à TV Anhanguera como convenceu o caseiro Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, suspeito de matar a mulher grávida, a enteada e um fazendeiro, a se entregar à polícia na manhã deste sábado (4), em Gameleira de Goiás (veja acima). O crime aconteceu no dia 28 de novembro e, desde então, ele estava foragido.

“Eu estava dormindo e meu marido havia saído para pegar leite. Ele bateu na janela, apontou a arma para mim, falou que era um assalto e que ia me matar. Eu pedi calma, falei pra ele ficar tranquilo que eu iria ajudá-lo”, contou Cinda Mara.

Fazendeira Cinda Mara ao lado de Wanderson  Mota Protácio — Foto: Reprodução

Fazendeira Cinda Mara ao lado de Wanderson Mota Protácio — Foto: Reprodução

Cinda conta que, após conseguir acalmar Wanderson, ele chegou a tomar café e vestir uma camisa. Ela disse que conseguiu chamar o marido, que o colocou o suspeito no carro e o levou até os policiais. A fazendeira chegou a tirar uma foto com Wanderson antes da prisão dele (veja acima).

“Ele pediu bolacha, estava tremendo demais porque estava com muito frio. A gente deu uma blusa para ele vestir, aí ele vestiu a blusa. Sentei na frente dele e pedi para me olhar nos olhos. Ele estava com revólver, estava carregado, cheio de bala”, contou.

A fazendeira foi conduzida a prestar depoimento na delegacia de Anápolis, a 55km de Goiânia, local onde Wanderson se encontra preso na manhã deste sábado.

Crimes

Os três assassinatos aconteceram em Corumbá de Goiás, no Entorno do DF. Segundo a Polícia Civil, primeiro, o suspeito matou a mulher dele que estava grávida, Rânia Aranha Figueiro, de 21 anos, e a enteada Geysa Aranha da Silva Rocha, de dois anos e nove meses.

Caseiro Wanderson Mota é suspeito de matar mulher grávida, enteada e fazendeiro em Corumbá de Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Caseiro Wanderson Mota é suspeito de matar mulher grávida, enteada e fazendeiro em Corumbá de Goiás — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Em seguida, ele furtou um revólver e matou o fazendeiro Roberto Clemente de Matos, de 73 anos, para roubar a caminhonete dele e fugir da cidade. Wanderson também tentou estuprar a mulher do fazendeiro, mas não conseguiu, e atirou no ombro dela.

Após o crime, a Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO) montou uma força-tarefa com as polícias Civil e Militar e com a ajuda da Rodoviária Federal (PRF) para prendê-lo.

Casa onde caseiro Wanderson Mota teria matado a mulher grávida e a enteada em Corumbá de Goiás — Foto: Jhonathan Moreira/TV Anhanguera

Casa onde caseiro Wanderson Mota teria matado a mulher grávida e a enteada em Corumbá de Goiás — Foto: Jhonathan Moreira/TV Anhanguera

Até então, o cerco policial se concentrou em três cidades: Corumbá de Goiás, onde os crimes aconteceram, Alexânia e Abadiânia, para onde ele teria fugido.

A fuga do trecho entre Alexânia e Abadiânia foi feito de táxi, segundo a polícia.

“O suspeito fugiu para Alexânia, onde pediu ajuda a familiares e até vendeu alguns aparelhos celulares. De lá, ele fugiu para Abadiânia e está escondido na zona rural entre estas cidades”, afirmou o investigador.

Wanderson Mota Protácio abandonou caminhonete de fazendeiro morto em Corumbá de Goiás — Foto: Reprodução/TV Ahanguera

Wanderson Mota Protácio abandonou caminhonete de fazendeiro morto em Corumbá de Goiás — Foto: Reprodução/TV Ahanguera

Caseiro roubou arma antes de fugir

Após matar a mulher e a enteada, o caseiro teria ido pedir ao patrão ajuda para a esposa grávida, dizendo que ela estava passando mal. O patrão saiu e foi até a casa ajudar a mulher. Nesse intervalo, de acordo com a polícia, o caseiro entrou na residência do patrão e furtou um revólver calibre .38.

Fazendeiro é morto com tiro em Corumbá de Goiás - Wanderson Mota é suspeito — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Fazendeiro é morto com tiro em Corumbá de Goiás – Wanderson Mota é suspeito — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Com a arma em mãos, ele foi à casa de Roberto Clemente e o matou com um tiro. Depois, roubou a caminhonete dele e fugiu do local após tentar estuprar a mulher do idoso, de acordo com o que foi informado pela polícia.

Os corpos da mulher e da enteada foram encontrados pela Polícia Militar na casa do caseiro, horas depois de ele fugir da fazenda. Segundo a corporação, elas foram mortas a facadas.

Polícia Civil na fazenda onde caseiro Wanderson Mota matou a mulher grávida e filha em Corumbá de Goiás — Foto: Jhonathan Moreira/TV Anhanguera

Polícia Civil na fazenda onde caseiro Wanderson Mota matou a mulher grávida e filha em Corumbá de Goiás — Foto: Jhonathan Moreira/TV Anhanguera

Conhecido da família

A mulher do idoso, que sobreviveu e foi levada a um hospital, contou à polícia que o rapaz era conhecido da família. Ele chegou na propriedade, entrou, e conversou com Roberto Clemente. Os dois tomaram refrigerante juntos. Então, Wanderson sacou a arma e deu um tiro na cabeça do idoso.

“A [mulher de Roberto Clemente] tentou correr e o Wanderson disse que a mataria, mesmo assim ela correu. Ele a derrubou, bateu em seu rosto e tentou estuprá-la. Não conseguindo, atirou também contra ela, acertando seu ombro. Caída no chão, se fingiu de morta. Então ele pegou a caminhonete da vítima e fugiu. A mulher conseguiu se deslocar até a propriedade vizinha para pedir ajuda”, diz trecho do boletim de ocorrência.

Tentativa de feminicídio

O caseiro Wanderson já foi preso anteriormente por tentar matar uma ex-mulher a facadas, em Goianápolis. Conforme boletim de ocorrências, ele atingiu a mulher nas costas até que a faca se quebrasse em três partes.

O delegado Tibério Martins informou que a tentativa de feminicídio aconteceu em 2019 e a mulher sobreviveu ao crime. Na época, ele tinha 18 anos e ficou preso até março deste ano, quando saiu do presídio.

Faca usada por Wanderson durante tentativa de feminicídio em 2019, em Goianápolis  — Foto: Reprodução

Faca usada por Wanderson durante tentativa de feminicídio em 2019, em Goianápolis — Foto: Reprodução

Fonte: g1

Comentários

Captha *